Politica de cookies

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Quero ouvir-vos todos a ronronar

 
As crias começam a ronronar quando têm cerca de uma semana de vida. É um

expediente que diz à mãe que tudo está bem com as tetas e que cada gatinho recebe

a sua parte de leite. A mãe presta atenção ao ronronar individual e ronrona também

para lhes garantir que tudo está bem, o ninho é seguro e podem continuar a mamar.

Os gatos pequenos podem produzir um ronronar satisfatório, mas os grandes felinos

também o podem fazer. Leões, tigres e chitas podem fazer variações do ronronar ,

mas os jaguares não o conseguem. A frequência do ronronar de um gato está entre 25

e 150 hertz (Hz). No extremo inferior da escala, cerca de 25Hz, o tom do ronronar de

um gato equivale ao de um motor a diesel vagaroso.


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Bosques da Noruega



 

Uma lenda norueguesa descreve este gato como um animal misterioso e encantado,
talvez nenhuma outra raça possua uma aparência tão bravia ou de mero visitante do
lar doméstico. Embora, na verdade, não seja mais selvagem do que o Coon de Maine,
com o qual se assemelha, continua a ser uma raça natural, austera, resistente e
adaptada aos rigorosos invernos Escandinavos. A mais distintiva das suas
características de adaptação ao meio é a pelagem dupla, que o protege do vento e
da neve, mantendo a temperatura do corpo e secando 15 minutos após uma chuvada.
 
História
 
A única certeza é que se trata de uma raça antiga. Os seus antepassados terão sido
gatos de pêlo curto importados da Grã-Bretanha pelos Viquingues e Pêlos Longos
trazidos pelos Cruzados, que viriam a acasalar também com espécimes selvagens e
domésticos. O “Norsk Skaukatt”, como é chamado na sua terra natal, poderá ser a
figura felina lendária dos contos tradicionais escandinavos. Foi reconhecido na Noruega em 1930 e entrou pela primeira vez numa exposição em 1938. Durante algum tempo foi proibido exportar estes gatos, sendo a sua raça praticamente desconhecida fora do seu país. Desde a década de 80, porém, atingiu um elevado estatuto internacional e estabeleceu-se um estalão.
 
Temperamento
 
Este gato adora as pessoas e pode ser bastante carente de afeto; em troca, inteligente, afável e brincalhão. Habituado à vida na natureza, onde é um caçadorexímio, adapta-se bem dentro de casa, desde que tenha espaço suficiente.

Variedades
 
São aceites todas as cores e padrões de pelagem, com ou sem branco.

Olhos
 
Grandes, amendoados e bem afastados.

Orelhas
 
Compridas, implantadas no topo da cabeça e pontiagudas, com tufos.

Corpo
 
Musculoso e robusto, de comprimento médio e quadrado na aparência, com um
pescoço comprido.

Cauda
 
Flutuante e do mesmo comprimento do corpo.


Pernas
 
Compridas e poderosas. Os membros traseiros são ligeiramente mais longos do que
os dianteiros.

Cabeça
 
De forma triangular, com um queixo pesado e bochechas cheias. Nariz largo, longo e
direito, com a ponta da mesma cor da pelagem. Bigodes longos e proeminentes.


Pelagem
 
Dupla, com uma pelagem superior longa e impermeável sobre uma pelagem inferior
espessa e lanosa. O rufo exuberante do pescoço cai normalmente no Verão. De cor
azul, com matizes brancos por todo o corpo.
 

Patas
 
Grandes e pesadas. Almofadas da mesma cor da pelagem. As garras especiais
permitem-lhe trepar.

sábado, 25 de janeiro de 2014

 
 
Está um gato pendurado

nos ramos da madrugada

sem ter medo das alturas

porque namora uma fada.

Fala um gato com os gatos

que há no Beco da Alegria

é tão negro como a noite

que o seu olhar alumia.

Tenho um gato que é persa

e outro que é siamês

ficam os dois à conversa

com outro que é só maltês.


quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Laringite

 
 
Sintomas


Tosse, rouquidão.

Causas


Virose, irritação local ou presença de corpos estranhos. Miados contínuos (durante o

cio prolongado, por exemplo) podem dar origem a uma laringite.

Tratamento


O veterinário diagnosticará a laringite através da observação cuidadosa da parte

posterior da garganta. Identificará a vermelhidão, intumescência ou pontos purulentos.

A terapia, com base em secretolíticos, corticóides ou antibióticos, será orientada em

função da gravidade do problema.

Convalescença


O gato deve ser instalado num local tranquilo até se restabelecer. A administração de

medicamentos deve ser conforme as instruções do veterinário.


sábado, 18 de janeiro de 2014

Estou feliz e contente

 
 
O ronronar dos gatos, tal como o abanar da cauda dos cães, é muitas vezes mal compreendido. Um cão que abana a cauda pode ainda atacar, porque, na verdade, o
abanar da cauda significa “estou excitado” e não “estou contente por te ver”. O ato a
ronronar está a dizer “ estou numa disposição social muito positiva”. Embora os
donos gostem de acreditar que é o seu amor incondicional e afagar cuidadoso que
provoca o ronronar, os gatos também ronronam quando obtêm a comida favorita e até quando estão magoados ou a parir.
Também é um sinal de que pretende inspirar uma reação nos humanos ou nos outros
gatos: ”quero amizade” ou “quero ser tranquilizado”.


quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

 
O que o gato diz à lua

Nem a lua sabe ao certo

É uma conversa de rua

Sobre as dunas do deserto.

Está um gato no canteiro

Com as rosas a brincar

É veloz e é matreiro

Com as estrelas a brilhar.

Há um gato azul-marinho

Na rima deste poema

Vai rimando de mansinho

Com perfume de alfazema.


domingo, 12 de janeiro de 2014

Persa preto


 
O Persa Preto é relativamente raro, apesar de a sua raça ter uma venerável história que

remonta ao século XVI e de ter sido uma das primeiras a ser reconhecida oficialmente.

O facto de ser difícil produzir uma tonalidade negra pura, sem ser esfumada ou

adulterada por matizes cor de ferrugem, tornou os bons espécimes bastante cobiçados.

A pelagem exige cuidados e atenções específicas: a humidade pode acastanhar o pêlo e

a exposição excessiva ao sol pode dar-lhe um ar desbotado.

História

Os primeiros Negros tinham características de Angorá, as quais foram entretanto

eliminadas com sucesso. A Segunda Guerra Mundial interrompeu programas de criação

em toda a Europa, mas não nos Estados Unidos, onde um Persa Preto conseguiu a

proeza de arrebatar o prémio de Gato do Ano três vezes seguidas.

Temperamento

O Persa Preto é um companheiro leal e afectuoso, ainda que desconfiado em relação

aos desconhecidos. Diz-se que é mais vivaço do que o seu parente Branco.

Variedades

Não existem variedades de Persa Preto.

Olhos

Grandes, redondos e cor de laranja profundo ou cobre-brilhante.

Orelhas

Pequenas e de pontas redondas, com tufos de pelo.

Corpo

Sólido e entroncado, de baixo porte, com ombros amplos e peito forte.

Cauda

Curta e farfalhuda, normalmente exibida esticada e em baixo.

Pernas

Curtas, espessas e bem revestidas de pêlo.

Cabeça

Redonda e larga, com bochechas cheias e um nariz achatado cuja ponta deve ser negra.

Pelagem

Possui longos pêlos de guarda e deve ser de um tom preto-carvão lustroso, sem um

único pêlo branco, sinais de ferrugem ou quaisquer marcas. Os gatinhos podem exibir

matizes ou salpicos brancos, que acabarão por desaparecer ao fim de oito meses. Rufo

abundante no pescoço.

Patas

Devem ser grandes e redondas, com almofadas negras na Austrália e na Grã-Bretanha,

e negras ou castanhas nos EUA.

 

sábado, 11 de janeiro de 2014

Maneio do gato


ALIMENTAR

-Manter água limpa sempre à disposição;
-A dieta deve ser preferencialmente à base de ração seca;
-Os gatinhos devem fazer 3 a 4 refeições diárias até cerca dos 6 meses, 2 a 3 refeições até aos 9 meses e duas refeições (preferencialmente), o resto da vida; Pode deixar-se comida à disposição exceto se o animal tiver predisposição para o ganho de peso, altura em que a alimentação deve ser racionada e dividida preferencialmente em duas refeições diárias;
-Quando se pretender alterar a alimentação do animal, a transição deve ser gradual, introduzindo o novo alimento em percentagem crescente, à medida que se diminui a quantidade do alimento anterior.

HIGIÊNICO

-Os gatos não costumam gostar de banhos, de forma que poderão optar-se por alternativas que facilitem a limpeza da pele e pelo, como por exemplo champô seco ou toalhetes de limpeza;
-Os animais de pelo comprido devem escovar-se regularmente para evitar o aparecimento de nós muito difíceis de remover. Se a escovagem for difícil, pode optar-se pela tosquia, principalmente nas alturas de maior calor.



PROFILÁCTICO

-É recomendável desparasitar internamente o seu gato;
-A desparasitação externa deve ser regular, respeitando os intervalos indicados pelo produto utilizado, usando um produto adequado à idade e ao estado fisiológico;
-A vacinação é idealmente iniciada às 6-8 semanas de idade. Para tal deve dirigir-se a um médico veterinário.

OUTROS REQUISITOS

-A vacinação dos gatos não é obrigatória por lei, mas é aconselhada e essencial para manter o seu animal de estimação saudável, evitando o aparecimento de doenças infeciosas;
-Deve também proceder à identificação eletrónica (chip) do seu gato.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Ânus sujo!


Na sua limpeza corporal diária, um gato saudável não descura nem sequer a sua zona anal. Um traseiro permanentemente sujo e pegajoso é sinal de que algo não está bem. No caso dos gatos de pêlo longo com uma pelagem especialmente espessa, a explicação é evidente: as suas atividades de limpeza não são suficientes para manter a região anal limpa. Poderá dar-lhe uma ajuda cortando o pêlo em redor do ânus. No caso de animais mais velhos a mobilidade é menor e, ao limparem-se, não conseguem chegar a todas as partes do corpo e por isso necessitam de ajuda. Isto acontece sobretudo quando o gato mais velho sofre de artrose (alterações das articulações, especialmente na zona da coluna). Os gatos com excesso de peso, aos quais lhes estorva a própria barriga e que depressa abandonam a tentativa de limparem a parte de trás, também têm dificuldades. Quando o gato está com diarreia o ânus também fica sujo. A diarreia é um aviso de um mal-estar geral ou de uma doença séria do gato, de acordo com a gravidade dos sintomas.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

 
 
Há dois gatos pequeninos

sobre a mesa de um escritor

um sussurra, o outro escreve

um romance que é de amor.

Pousa um pombo na janela

quando o voo o fatiga

ficam os gatos nervosos,

caçadores à moda antiga.

Há um gato pequenino

que não tem teto nem dono

a miar à minha porta

com queixas de abandono.


sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Medo de água



Face à água, os gatos mostram um comportamento muito variado. Muito poucos gostam de tomar banho, mas todos gostam de brincar com as gotas de água (por exemplo da torneira). Muitos vão à caça quando chove ou neva, molhando assim as patas sem problemas. Alguns são apaixonados pela pesca, sentando-se na borda de um lago e metendo habilmente a pata na água para obter peixe vivo.
Todos os gatos sabem nadar, mas só vão voluntariamente para a água alguns especialistas, como o Van Turco.