Politica de cookies

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Socorro! Sou alergica ao meu gato!

 

Encontrei na web um artigo que não podia deixar de partilhar com vocês. Foi publicado no site felinus.org (http://www.felinus.org/index.php?area=artigo&action=show&id=1343) e é excelente.
Leiam que vale a pena:



Socorro! Sou alérgica ao meu gato!

As autoridades médicas de todos os países estão de acordo que viver com um animal de estimação traz muitos benefícios para a saúde, contribuindo para a diminuição da pressão arterial, dos níveis de colesterol, dos triglicéridos, e do sentimento de solidão. Depois de um dia stressante no trabalho e nos transportes, acariciar o pêlo macio de um gato e ouvir o seu ronronar de satisfação produz um relaxamento instantâneo e uma paz infinita.

Para as crianças, a convivência com um animal de estimação torna-os responsáveis e ensina-as a brincar, respeitando um outro ser sensível, que sente dor e prazer.

Como explicar então as elevadas taxas de abandono de gatos nos canis municipais de Portugal inteiro, às vezes com ordem de abate, e nos refúgios de associações, onde esses animais desesperam tanto com o brutal afastamento dos seus donos que muitas vezes se suicidam, recusando alimentar-se ?



 


A explicação está na pressa dos médicos em resolver o problema dos pacientes que os procuram com manifestações de alergias: espirros, comichão no nariz, olhos vermelhos, às vezes dificuldade em respirar, manifestações de podem ir de ligeiras até mais severas. O conselho que os médicos dão logo (e estou a falar com experiência própria) é: “Livre-se do seu gato !” É tão simples cortar o mal pela raiz !

Só que, na maioria das vezes, os lares estão cheios de alergéneos que provêm não só dos animais, mas também:

* do fumo dos cigarros – não basta arejar as divisões todos os dias; as partículas resultantes do fumo vão depositar-se nas paredes, no tecto e incrustrar-se nos estofos, cortinas, roupa, e até nos cabelos dos proprietários

* das colas industriais usadas nos móveis (as madeiras maciças pertencem ao passado)

* das tintas de pintar as paredes (por isso já há uma marca que vende tinta ecológica, muito mais cara que as tintas correntes)

* da lenha de lareiras, autêntica bomba de alergéneos

* dos próprios detergentes caseiros e perfumes ambientadores ou incensos

* sobretudo, dos ácaros do pó. O ácaro é um bichinho muito pequeno que vive na poeira acumulada dentro dos ambientes domésticos, invisível à visão normal, alimenta-se da descamação da pele humana e de animais, e restos de alimentos. Encontra-se em quantidades que podem chegar a 2000 por grama de poeira doméstica e reside em: almofadas, camas e colchões, estofos, carpetes, estantes de livros, cortinas, bonecos de peluche.

As pessoas podem livrar-se do seu gato ou de qualquer outro animal com pêlos ou penas que tenham dentro de casa (cães, aves, coelhos, hamsters, porquinhos da ìndia), mas continuarão a sofrer, se não mudarem as suas condições de vida e os médicos deviam ser os primeiros a informar os seus pacientes.

Onde estão os alergéneos espalhados pelos gatos

As alergias aos gatos baseiam-se em reacções a uma proteína felina, a Fel-D-1, presente nas escamas do pêlo e pele (caspa), saliva e urina. Estas minúsculas partículas espalham-se no ar e ficam presas nos estofos, carpetes e cortinas. O mesmo acontece com a saliva, quando seca. Por isso, reduzindo a exposição a estas partículas de pele, pêlo e saliva, podemos viver confortavelmente com o nosso animal de estimação.

Quer isto dizer que uma pessoa hipersensível não pode conviver com gatos ? De maneira nenhuma ! Felizmente, há muitas coisas ao alcance dos amantes de animais.

Medidas várias para reduzir as alergias

Crie uma divisão da casa livre de alergéneos – normalmente, o melhor é o quarto de dormir. Se não deixar o seu gato entrar no quarto (e muito menos dormir na sua cama), terá pelo menos 8 horas diárias num ambiente sem alergéneos. Use também capas de colchão e de almofadas anti-ácaros.

No resto da casa:

• Reduza os tecidos no seu interior – os alergéneos acumulam-se nos tapetes, cortinados e estofos. Combata-os substituindo os cortinados por estores, mais fáceis de limpar, e retire tapetes e carpetes.

• Não use vassouras, pois espalham a poeira fina, que ficará em suspensão e voltará a depositar-se em todo o lado.

• A limpeza diária deve ser feita com um aspirador (de preferência que tenha um filtro HEPA) e um pano humedecido com água, sem produtos “especiais”.

• Areje todas as divisões diariamente.

• Limpe a caixa de areão do gato frequentemente e prefira uma areia aglomerante, que espalha pouco pó, e sem perfume.

• Invista na sua saúde e de todos os seus: existe um purificador de ar AIRFREE, à venda nas lojas Worten, Jumbo, El Corte Inglés, em farmácias por encomenda, e em www.airfree.pt ou 800.200.767.


Certifique-se de que o seu gato também está limpo

Escove-o regularmente e limpe o pêlo 1 vez por semana (mais não, porque isso iria provocar mais caspa) com uma toalha embebida em água morna (pelo menos à temperatura da sua mão) e depois espremida.

Também pode passar no pêlo um produto, VETRIDERM, já vendido em muitas lojas de veterinários e on-line em www.tiendanimal.es

Medicamentos

Os adultos, mas também as crianças, podem recorrer a injecções de dessensibilização e já existem anti-histamínicos que não provocam sonolência, como os comprimidos AERIUS.

Finalmente, uma certeza: nenhuma alergia é eterna. O organismo acaba por habituar-se a todo o tipo de alergéneos...

Autoria: Elisabete Feitoria
Fonte:
Várias fontes, mas sobretuto o excelente site americano
www.petplace.com

Sem comentários:

Enviar um comentário