Politica de cookies

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O gato - manual para principiantes

Para iniciar uma relação com o seu gato, deve começar por acaricia-lo, dar-lhe muita atenção e muito mimo, para que  se sinta bem em casa e tenha uma relação de amizade para consigo.
Se atribuir rapidamente um nome ao gato, e chama-lo bastantes vezes por esse nome, é muito provável que ele se reconheça quando o ouvir chamar. Os nomes preferidos dos gatos têm que ter duas silabas contendo as vogais "a", "i" e "o"
 


            No entanto, nunca tente educar um gato como se educa um cão. É escusado. Os gatos associam os seus atos à experiência adquirida, ou seja, se associarem um acontecimento positivo a um ato, vão repeti-lo. Mas se o acontecimento for negativo, o gato vai evita-lo.

Deste modo, para ensinar o seu gato, nunca o castigue "depois". Ou é na precisa altura da asneira, ou o gato não compreende porque esta a castiga-lo. Uma coisa muito importante é nunca bater com jornal. Algumas pessoas recomendam, mas nunca deve ser feito, porque o gato não se deve aperceber que foi sancionado por si... deve associar o seu ato a um acontecimento negativo. Por exemplo, se o gato esta a arranhar o sofá, atire chaves ou abane uma corrente de ferro (sem nunca o atingir), ou então bata palmas com força, que o gato assusta-se e vai desabituar-se de fazer aquilo. Também pode borrifa-lo com água, uma vez que os gatos são hidrofóbicos (com exceções, se o seu gato gosta de tomar banho, este castigo não funcionará).
 
 

Se o gato vir que é você que o castiga, vai afastar-se de si, mas não vai reconhecer mal nenhum em arranhar o sofá...
 
Brincar
 
Os gatos adoram brincar com objetos móveis. Bolas de ping-pong, rolhas, bolas de papel e novelos são os brinquedos preferidos. Nas lojas também existem ratos de peluche que se movem sozinhos, patinhos de borracha, entre outros. Brincar com o gato é muito importante para ele se exercitar, e também para se habituar a si.
 
Higiene
 
O gato é um animal extremamente limpo.
Se o seu gato está a fazer as necessidades fora da caixa, algum problema existe. Pode ter comprado a areia errada, pode o gato estar doente, pode estar perturbado pela chegada de um outro animal, pode estar perturbado com a saída ou entrada de uma pessoa na família, etc. Deve consultar o veterinário para despistar problemas de saúde.
Pode levar o gato imediatamente após ter feito fora do sitio, à caixa própria para lhe mostrar que é ali que tem que fazer. Também pode acontecer que o gato se tenha assustado e por isso tenha feito fora do sitio, por isso, se não se repetir, não deve ficar chateado com o gato.
 
 
 
Gatos agressivos
 
Um gato pode-se tornar agressivo se sentir ciúmes, ou se compreender uma atitude sua como agressiva para ele. Se o gato não quiser mais carinho e não conseguir sair do seu colo, vai tentar fugir de qualquer maneira.
Também se o gato tem um aborrecimento diário e uma falta de movimento, vai acumulando energia que a qualquer momento vai "explodir". Quando isto acontece, pode ocorrer que dois gatos que estejam a brincar passem a uma briga longa, tudo porque o ambiente em casa é monótono e eles tem que gastar essa energia acumulada!
 
Medo das pessoas
 
Más experiências passadas, como os maus tratos, levam a que o gato nunca se sinta bem na presença de seres humanos. Por vezes ganham mesmo traumas, e nunca serão gatos que gostem de ser acariciados, pegados ao colo, nem nada que envolva contacto direto com as pessoas.
Assim que sentem passos, fogem e escondem-se.

Também há os gatos que não tem trauma nenhum, mas são muito tímidos. Neste caso, vai procurar esconderijos. Não deve obrigar o gato a sair do esconderijo, se alguém tem que tomar a iniciativa de uma aproximação, tem que ser o gato, pois caso contrário será sem sucesso! Deixe o gato ver que não há perigo e que você é uma pessoa agradável e silenciosa.
 
 
 

Cuidados


O gato é um animal que gosta de conviver junto das pessoas, numa casa aconchegadora e quentinha. O ideal seria também deixar o gato vir cá fora, especialmente se houver jardim e pouco trânsito, no entanto, com tantos perigos que existem no exterior, a maioria dos donos prefere mantê-los dentro de casa, onde estão em segurança.
Antes de arranjar um gato, verifique se a sua casa tem espaço para mais um animal. É um animal que precisa de um pouco de espaço para se mexer. Nunca deverá ter um gato fechado num quarto, ou numa casa que só tenha realmente um quarto. Não deve proibir o gato de entrar na sala e nos quartos, de se deitar e aconchegar nos sofás ou nas camas. O gato gosta de estar onde os donos estão, e sentir-se quente e confortável.

O gato recém-chegado à sua casa ainda não sabe que a mobília não serve para aguçar as unhas. Não desista do seu gato só porque ele lhe estragou algumas peças de decoração.
A primeira coisa a fazer é arranjar o WC do gato: um caixa com areia própria, que pode ser adquirida em supermercados e lojas de animais. Depois, um cestinho para dormir a cesta, embora o gato irá preferir o sofá. Precisa de uma tigela para a comida e outra para a água, num canto onde possa comer em paz.
Para afiar as unhas, um tronco ou outros acessório para afiar, também encontrado em supermercados ou lojas de animais, deve estar sempre à disposição do gato. É aconselhável ter em casa um pouco de erva; os gatos precisam de engolir erva para fazer sair as bolas de pêlo que engolem ao lavarem-se. Um pequeno vaso ou tigela de relva comum serve perfeitamente.
 
 
 
Vacinação e Desparasitação
Todos os gatos deveriam ser vacinados e desparasitados. A vacinação previne várias doenças contagiosas e muitas vezes mortais de afetarem o seu gato, tais como a panleucopénia, a gripe e a raiva. A desparasitação limpa os intestinos do gato dos vermes parasitas, tais como a bicha-solitária e as ascárides. A desparasitação deve começar na 12ª semana de vida.
 
Evitar Acidentes
 
O gato é um animal curioso, e quer vasculhar todos os cantos da casa. Deste modo, uma janela meia aberta é suficiente para ele ficar entalado, e uma placa de fogão pode queimar o bichinho curioso.
Para evitar acidentes em casa, arrume todos os objetos como agulhas, tachas, fios, substâncias venenosas, remédios e produtos de limpeza. Certifique-se de que os vasos com plantas e flores estão seguros, para não caírem em cima do gato. Os gatos adultos experientes já devem saber que fontes de calor como o fogão queimam, mas os pequeninos podem saltar diretamente para cima dele! Tome atenção e nunca deixe o tigrezinho sozinho enquanto cozinha.
Antes de fechar o frigorífico ou a máquina de lavar roupa verifique se o gato não entrou... se permanecer lá dentro, morre de certeza! Ratoeiras e veneno para os ratos não devem ser colocados ao alcance dos gatos.
 
 
 
Pegar no Gato
 
Por favor, nunca levante o gato pela nuca, como as mamãs gatas fazem ás suas crias. Levantar o gato pela nuca pode causar graves ferimentos internos e permanentes. Para pegar no gato, coloque as mãos por baixo da barriga, uma entre as pernas da frente e outra à volta das pernas traseiras, porque é o método mais indicado, e ainda se assegura de que ele não consegue fugir!
 
Adaptação
 
Quando o gato chegar à sua casa, abra-lhe todas as portas e deixe-o investigar a casa livremente. O gato vai procurar a caixa das necessidades e o prato da comida, e depois vai cheirar tudo. Não o force a ir numa determinada direção, deixe-o ir para onde quiser e levar o tempo necessário para se adaptar.
Não tente fechar o quarto ou a divisão da casa onde você passa mais tempo. O gato quer locais onde esteja perto de si. Fechar a porta do quarto de dormir não vai convencer o gato a não entrar, ele quer estar ao seu lado.

Deve-se acariciar, dar muita atenção e mimo ao gato, para que ele estabeleça uma relação de amizade consigo e se sinta bem na sua casa e na sua companhia.
 
 
 
Passear o Gato
 
O gato é por norma um animal que é dono do seu próprio nariz e não segue ninguém para lado nenhum. Portanto, a ideia de o levar a passear com coleira e trela parece impossível. No entanto é possível, uns mais facilmente que outros, e exige treino e esforço.
Há determinadas raças, como os siameses, que gostam de andar de coleira, mas outros não.
Os gatos domésticos determinam a velocidade do passeio, você só pode determinar a direção. O gato é atraído por varias coisas, como perseguir insetos, saltar muros e deitar-se na relva. Escolha sempre as horas da tarde ou da madrugada, o gato gosta da escuridão e o barulho trânsito pode ser demasiado para o tigrinho.

Só se deve optar por passear o gato com coleira e trela se não houver mais nenhuma hipótese (pode deixar o gato em casa, que não vai sentir a falta de ir à rua como os cães).
 
Limpeza do Pêlo
 
Os gatos adoram limparem-se a eles próprios, com a sua língua áspera e húmida. Lavam com a língua a maior parte do corpo e com a patinha as partes onde não chegam (o focinho por exemplo). Quando vivem dois ou mais gatos, podem desenvolver uma amizade profunda e lambem-se uns aos outros - um verdadeiro espetáculo de carinho.
No entanto, apenas os gatos de pêlo curto conseguem limpar o próprio pêlo. Os donos dos gatos de pêlo comprido devem dar uma ajudinha, escovando o pêlo com uma escova ou um pente. Os gatos demasiado gordos, doentes ou com parasitas devem também poder contar com o auxílio dos donos.
Ou escovar poucos minutos diariamente ou escovar uma vez por semana é o suficiente. Quando um gato tem o pêlo pouco saudável e sem brilho, deve-se fazer um tratamento ao pêlo e depois escovar. Não se trata só de beleza exterior, porque os gatos não se sentem bem se não tiverem um bom pêlo.
 
 
 
Banho
 
À exceção do gato Van da Turquia, quase todos os gatos evitam a água. Para além disso, os gatos são animais muito limpos e não precisam de banhos completos.
Ao tentar pôr o gato na banheira para lhe dar um duche, o gato vai reagir muito mal. Para ser um banho eficaz, encha uma bacia com 10 cm de água a uma temperatura entre os 30 e os 35 graus, e meta o gato lá dentro. Existem champôs próprios para dar banhos aos gatos, que são muito bons para a pele e para o pêlo. Tome atenção para que os olhos e as orelhas dos gatos fiquem sempre secas, e quando acabar o banho enrole o animal numa toalha fofa e quentinha.
 
Unhas
 
É disparatado cortar as unhas ao seu gato, se não tiver prática nisso. Logo atrás das unhas encontram-se nervos e vasos sanguíneos que ficam danificados.
Para além disso, as unhas são as ferramentas mais importantes para se apoiar, trepar, saltar e se defender. Se pretende mesmo cortar as unhas ao gato, consulte o veterinário para que este lhe possa mostrar como se deve fazer. As unhas traseiras não devem ser cortadas.
O gato trata do comprimento e da afiação das suas unhas, se tiver um tronco ou algum material onde as possa afiar.
 
Orelhas
 
Se as orelhas estão realmente muito sujas, limpe-as com um lenço de papel. Se você vê pedacinhos acastanhados idênticos a migalhas, e o gato coça constantemente, deve levá-lo ao veterinário porque se trata de ácaros.
 
 
 
Olhos
 
Os gatos tem muita tendência a ter os olhos lacrimejantes, o que provoca descargas secas e crostas no canto dos olhos. Deve limpar os olhos do gato porque este não chega corretamente a esse local com as patas.
Um paninho que pode ser humedecido com soro fisiológico ou pode ser mesmo seco, é o suficiente para tirar estas remelas aos gatos.
Se os olhos aparecem vermelhos ou com pus, pode tratar-se de uma inflamação séria, e deve consultar o veterinário.
 
Dentes
 
Entre os dois e os três meses de idade crescem os dentes de leite. Três meses depois mudam para a dentição definitiva, de trinta dentes, que na maioria dos gatos se mantém saudáveis até à idade avançada.
Nos gatos mais velhos pode ocorrer inflamação das gengivas e tártaro nos dentes. Isto causa dores ao gato, e pode ser um motivo para que ele recuse a comer. As gengivas podem ficar vermelhas e sangrentas, e se não consultar o veterinário os dentes podem perder o suporte e caírem.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário